Balanço de Doria das marginais aponta 1/3 dos feridos computados pela PM

EDUARDO SCOLESE, EDITOR DE "COTIDIANO", E FABRÍCIO LOBEL E DHIEGO MAIA, DE SÃO PAULO - FOLHA DE S. PAULO

Balanço da Prefeitura de São Paulo com base em dados de boletins de ocorrência analisados pela CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) aponta redução no número de acidentes e feridos nas marginais Tietê e Pinheiros nos três primeiros meses após a gestão João Doria (PSDB) ter elevado as velocidades máximas nas duas vias.

Esse relatório, obtido pela Folha, será divulgado na tarde desta sexta-feira (9), levanta uma série de contradições com outros balanços oficiais da prefeitura e dá início a uma espécie de "guerra" de números com órgãos do governo do Estado, que apontam uma tendência contrária, como no caso da Polícia Militar.

Por exemplo, de fevereiro a abril deste ano, segundo a PM, foram 396 acidentes com vítimas nas marginais. Já segundo a prefeitura, foram 113 acidentes em geral (graves ou não) nesse mesmo intervalo. No final de janeiro, os limites de velocidade nas marginais Tietê e Pinheiros foram elevados de 70 km/h para 90 km/h na pista expressa, de 60 km/h para 70 km/h na central e de 50 km/h para 60 km/h na local. A mudança foi uma promessa de campanha de Doria nas eleições de 2016.

Segundo os dados da prefeitura, o número de acidentes em geral (com ou sem vítimas) nas duas marginais passou de 138 para 113, numa comparação entre os meses de fevereiro, março e abril do ano passado e deste ano. Também de acordo com o balanço municipal, nesse mesmo intervalo, o total de feridos passou de 153 para 132, e o de mortos, de 9 para 8.

Esses dados, com base apenas em boletins de ocorrência analisados pela CET, porém, mostram um vácuo em relação a dados da própria companhia. Nesse novo balanço, a prefeitura fala em 113 acidentes (graves ou não) de fevereiro a abril. A própria CET, no início do ano, com base em dados operacionais (baseados nos relatos dos agentes), divulgou que havia registrado 223 acidentes com vítimas nos dois primeiros meses após o aumento das velocidades.

Antes da divulgação dos novos dados da CET, o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) havia informado que o número de atendimentos a vítimas de acidentes nas marginais Tietê e Pinheiros triplicou após o aumento de velocidade das vias. Dados do serviço mostravam que, entre o dia 25 de janeiro e 10 de março deste ano, haviam sido feitos 186 atendimentos, contra 65 no mesmo período do ano anterior.

Os dados do novo balanço da CET usam como base os dados do Infocrim (Sistema de Informação Criminal), da Polícia Civil. Na prática, entram na conta todos os acidentes com registro de boletim de ocorrência -com a mesma metodologia, dizem, desde 1979. Já os dados da PM incluem todos os acidentes com vítimas que aparecem nos boletins operacionais da corporação.

Como a Folha mostrou nesta sexta, segundo dados do batalhão de trânsito da Polícia Militar, as marginais tiveram 144 ocorrências com vítimas em maio deste ano, contra 115 no ano passado -uma alta de 25%. O crescimento é ainda maior quando se consideram os quatro meses seguintes à mudança nos limites, que entrou em vigor no dia 25 de janeiro.

Entre fevereiro e maio, os acidentes com vítimas aumentaram 38% -de 392 em 2016 para 540 neste ano, de acordo com dados da PM. O número de mortes também seguiu tendência de alta. Foram 11 nos cinco primeiros meses de 2017 e 8 no mesmo período do ano passado.

Motociclistas são as principais vítimas. Eles estavam envolvidos em 78,5% das ocorrências deste ano (de janeiro a maio), um leve aumento de proporção em relação ao ano passado, quando essa parcela foi de 74,6%. Em maio, os motociclistas foram proibidos pela gestão Doria de circular nas pistas centrais da Tietê das 22h às 5h. Essa é uma das apostas da administração tucana para tentar conter a alta de acidentes do tipo nas marginais.

Como revelou a Folha nesta semana, Doria teve a carteira de habilitação suspensa por acumular mais de 20 pontos após uma série de infrações, a maioria delas por excesso de velocidade. Ele afirmou que fará o curso obrigatório para poder dirigir novamente.

Veículos utilizados pelo tucano também já receberam ao menos três multas por velocidade excessiva nas marginais Tietê e Pinheiros –antes da mudança dos limites. Em relação à alta de acidentes nas vias, a prefeitura tem dito que as mortes registradas não sugerem a velocidade como causa do acidente.

Matéria publicada na Folha de S. Paulo.