Idec apresenta propostas de mobilidade urbana para o Programa de Metas de São Paulo

Em reunião com a Secretaria Municipal de Transportes, Instituto e organizações parceiras levaram sugestões para a melhoria do transporte coletivo e da segurança no trânsito da cidade.

Na manhã desta quinta-feira (16), o Idec e outras organizações da sociedade civil apresentaram à Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes propostas de mobilidade urbana para o Programa de Metas da cidade de São Paulo (SP).

O Programa de Metas é um programa de gestão da prefeitura e deve ser apresentado até 90 dias após a posse do prefeito, eleito ou reeleito. Nele são definidas as prioridades do governo, como ações estratégicas, indicadores e metas quantitativas para diversas áreas.

As sugestões das organizações, levadas durante a reunião do Conselho Municipal de Transporte e Trânsito, são focadas nos principais eixos para a melhoria da mobilidade na cidade: transporte coletivo (implantação de mais corredores e faixas de ônibus, construção de novos terminais e limitação do aumento da tarifa, por exemplo); mobilidade a pé e por bicicletas (expansão da rede de ciclovias e de calçadas); segurança no trânsito (implantação de áreas de acalmamento de tráfego); redução da emissão de poluentes (cronograma de transição energética da frota de ônibus), entre outras iniciativas.

As pautas foram construídas junto com a Cidadeapé, a Sampapé a CicloCidade, o Greenpeace e o Cidade dos Sonhos, e se baseiam no Plano de Mobilidade Municipal de São Paulo, em acordos internacionais e em leis municipais, entre elas a Lei Municipal de Mudanças Climáticas.

“O objetivo das entidades é que a prefeitura se comprometa formalmente a cumprir as metas apresentadas”, diz o pesquisador em mobilidade urbana do Idec, Rafael Calabria. 

Até abril, a Prefeitura de São Paulo deverá abrir consulta pública para colher informações e sugestões sobre o Programa de Metas. Depois, deve ocorrer também uma audiência pública.

A Secretaria se comprometeu a marcar uma reunião para aprofundar a discussão das metas apresentadas. O Idec vai acompanhar todo o processo.

 

Metas propostas - Veja todas as propostas apresentadas pelo Idec e pelas organizações na reunião:

Transporte coletivo:

- 150 km de novos corredores e 110 km de faixas exclusivas de ônibus;

- estabelecer um projeto de informação aos usuário nos pontos de ônibus e um teto para o aumento da tarifa;

- implementar um cronograma de transição energética para a frota de ônibus municipais,

- construir 16 terminais de ônibus;

- requalificar a acessibilidade a integração com ciclistas e pedestres nos corredores de ônibus e pontes da cidade; 

Rede cicloviária:

- 425 novos km de rede cicloviária; 

- expandir e aprimorar a rede de bicicletas compartilhadas;

Rede de mobilidade a pé:

- estabelecer um planejamento estruturado para os pedestres na cidade;

- 1 milhão de m² de calçadas;

- ampliar o tempo de travessia de pedestres nos semáforos;

Segurança no trânsito:

- reduzir o índice de mortes no trânsito para 6 mortos por 100 mil habitantes; 

- implantar áreas de acalmamento de tráfego nos bairros; 

Participação e controle social:

- instalar fóruns regionais de mobilidade urbana nos Conselhos Participativos

das Prefeituras Regionais;

Espaço público:

- fortalecer e criar conselhos gestores locais do programa Ruas Abertas.

Comentários

Como falar em metas em melhorias e investimentos ?
Em meu bairro (Tatuapé) e outros, os donos de bares se apossaram totalmente das calçadas, e a fiscalização faz vista grossa a muito tempo.
Os pedestres tem que dividir o espaço da rua com os veículos o tempo todo, em vários pontos do trajeto.
Será que ninguém quer enxergar isso ?
Até em cima da guia rebaixada para deficientes são colocadas mesas com cadeiras.
Isso não é pontual. Acontece em toda cidade de São Paulo.
Alguém se habilita a tomar providências ?