Pesquisa de opinião pública “Viver em São Paulo”, realizada pelo Ibope, faz um diagnóstico da percepção do paulistano

 
 

 

O acompanhamento cidadão, um dos eixos do Movimento Nossa São Paulo, também prevê o desenvolvimento de pesquisas de percepção da população sobre a cidade e os diversos aspectos da administração pública.
A pesquisa terá edições anuais, para o monitoramento sistemático da qualidade de vida na cidade de São Paulo. Os resultados e as conclusões são importante ferramenta e complementam os indicadores sistematizados pelo Movimento Nossa São Paulo.
A primeira edição da pesquisa “Viver em São Paulo”, realizada pelo Ibope, ouviu 1.512 moradores em todas as regiões da cidade, entre os dias 5 e 14 de janeiro. São mais de 200 itens avaliados pela população. Veja abaixo alguns dados destacados da pesquisa.

Para ver a pesquisa completa, clique aqui.
Para ver a apresentação resumida da pesquisa, clique aqui.

PESQUISA DE PERCEPÇÃO “VIVER EM SÃO PAULO”
Ibope / Movimento Nossa São Paulo

LOCAL DA PESQUISA – Município de São Paulo.
UNIVERSO – moradores de 16 anos ou mais.
PERÍODO DE CAMPO – de 05 a 14 de janeiro de 2008.
DIMENSIONAMENTO – 1.512 entrevistas domiciliares com questionário estruturado.
MARGEM DE ERRO – O intervalo de confiança estimado é de 95% e a margem de erro máxima é de 2,5 pontos percentuais para mais ou para menos.

Clima e imagem
- 50% dos entrevistados acham que São Paulo é um lugar “bom” para se morar e 17% o consideram “ótimo”. Já 4% classificaram a cidade como “ruim” e 5% como “péssimo”;
- Para 53% dos entrevistados, a cidade está no “caminho certo”;
- 47% estão “otimistas” com o futuro da cidade e 3% estão “muito otimistas”. Já 20% se disseram “pessimistas” e 3% “muito pessimistas”;
**- 44% sentem “muito orgulho” e 38% sentem “um pouco de orgulho” de morar em São Paulo. Apenas 16% “não sentem orgulho”. Porém, para 37% a qualidade de vida na cidade é ruim, quase péssima;
- As perspectivas para os próximos 6 meses são pessimistas: 56% acham que a inflação vai aumentar, 45% que o desemprego vai aumentar e 41% que a desigualdade social vai aumentar. Além disso, 50% acham que sua própria renda não vai mudar e 52% que a renda das pessoas em geral também ficará igual;
**- 55% das pessoas sairiam de São Paulo para viver em outra cidade. Mesmo as que avaliaram a cidade como “ótima” para se viver: 37% delas mudariam de São Paulo;

Qualidade de vida na cidade
- Nota média para a cidade como um todo: 6,7

Segurança pública
- 58% consideram a cidade “pouco segura” e 29%, “nada segura”. Apenas 1% considerou “muito segura” e 10%, “segura”;
- 20% disseram ter sido assaltado, agredido ou vítima de algum delito em São Paulo. E 49% conhece alguém que passou pela situação;

Saúde pública
- 70% se disseram insatisfeitos com o sistema de saúde pública (deram notas de 1 a 5);
- 57% dos entrevistados receberam remédios gratuitos e 55% deles tiveram atendimento ambulatorial em hospital da rede pública;
- A avaliação dos prazos para atendimento em saúde ficou negativa: 74% se disseram insatisfeitos com tempo médio entre a marcação e a realização de consultas; 76% com o tempo médio entre a marcação e a realização de exames e 78% com o tempo médio entre a marcação e a realização de procedimentos mais complexos (exemplo: cirurgia, exames especializados);

Educação pública
- 60% estão insatisfeitos com a educação na rede pública (deram notas de 1 a 5);
- 37% utilizam (ou alguém de sua família) o Ensino Fundamental público, 29% o Ensino Médio, 26% a Educação Infantil e 13% as creches;

Outros serviços
- 55% estão insatisfeitos com o transporte coletivo;
- 61% estão insatisfeitos com a assistência social;
- 61% estão insatisfeitos com a habitação popular;

Inclusão e cidadania
- 10% votou em Conselhos Municipais;
- 7% Trabalhou ou fez uma doação a um grupo ou partido político;
- 10% participou de alguma manifestação pública;
- 37% participou de um abaixo-assinado.

Eleições 2008
- 25% disseram ter “muito interesse”; 21%, “pouco interesse”; 20%, “interesse médio” e 33%, “nenhum interesse”;
**- 60% acreditam que a qualidade de vida não mudará com as eleições deste ano.

Discriminação e preconceito
- 77% disseram não ter sofrido nenhum tipo de preconceito em São Paulo;
- Dos 23% que afirmaram ter sofrido preconceito, 30% respondeu “por ser pobre” e 24% “por ser negro ou afrodescendente”.

Atividades culturais e de lazer
- Não frequentou nenhuma vez nos últimos 12 meses: parques e praças, 42%; eventos esportivos, 51%; foi ao cinema, 62%; feiras e festas populares, 63%; bibliotecas, 80%; museus/exposições e centros históricos, 78%; teatro, espetáculos de dança e concertos, 81%.
- Frequentou muitas vezes nos últimos 12 meses: parques e praças, 24%; eventos esportivos, 21%; cinema, 11%; feiras e festas populares, 11%; bibliotecas, 7%; museus/ exposições e centros históricos, 5%; teatro, espetáculos de dança e concertos, 4%.

**Administração municipal**
**- 77% acham que os investimentos públicos feitos pela cidade de São Paulo estão “voltados para a população rica”;
- 87% consideram que a aplicação dos recursos do orçamento da cidade de São Paulo atende “interesses de políticos”;
- 95% afirmaram que “existe corrupção na política”.
**- 10% admitiu ter pago “propina” a funcionário público ou outro intermediário nos últimos 12 meses.
- 74% acham que há pouca eficiência nas instituições públicas;
- 79% acham que há pouca transparência na administração pública municipal.
Conhecimento:
- 76% já tinham ouvido falar em “subprefeituras” e 24% nunca tinham ouvido falar;
- 63% já tinham ouvido falar em Conselhos Municipais e 36% nunca tinham ouvido falar;

Confiança nas instituições
As 3 mais bem avaliadas, com maior taxa de “confiança”:
Corpo de bombeiros (95%)
Correios (91%)
Sabesp (81%)

As 3 menos avaliadas, com menor taxa de “confiança”:
Ministério Público (38%)
Tribunal de Contas do Município (30%)
Câmara Municipal de São Paulo (27%)

As 3 instituições que mais contribuem para melhorar a qualidade de vida da população:
Igreja (27%)
Prefeitura de São Paulo (22%) e Universidade (22%)
Meios de comunicação (20%)

 

 


Veja mais Notícias