Cultura

 
 

Propostas das crianças e Adolescentes

  • Fazer com que todo cidadão possa acessar e produzir cultura.
  • Criar centros culturais perto das moradias para que a comunidade possa acessar apresentações e oficinas artísticas e também tenha espaço para apresentação de suas atividades culturais.
  • Manter espaços culturais que também valorizem programação voltada para cidadania, preservação do meio ambiente, educação sexual, ensino de línguas estrangeiras, entre outros.
  • Construir mini bibliotecas próximas à casa das pessoas.
  • Construir Centros Culturais nas margens do Rio Tietê, com infra-estrutura para grandes shows, peças de teatro e oficinas de desenho, pintura, fotografia, entre outros.
  • Construir mais lugares públicos de lazer.
  • Promover a liberdade de expressão nos espaços públicos, com incentivo público ao grafite, intervenções urbanas, teatro de rua e outras manifestações culturais.
  • Desenvolver atividades que fomentem a diversidade cultural, propiciando uma educação social e cultural que leve em conta também o público GLBT na sociedade.
  • Aumentar a divulgação das atividades culturais gratuitas na cidade.
  • Criar “Intertecas” – mistura de bibliotecas com centros de informática – dentro ou fora das escolas, principalmente nas zonas mais pobres da cidade.

Demais propostas do Fórum

Legislação e Gestão

  • Divulgar para a população a verba de cultura destinada à região e promover a administração da mesma com a participação de conselhos populares. Em cada subprefeitura, os conselheiros culturais deverão ser eleitos pela comunidade.
  • Criar, com o apoio das subprefeituras e das organizações do Movimento Nossa São Paulo, encontros mensais em uma praça ou local público para discutir os temas locais, apresentar propostas, realizar apresentações culturais. Promover a apropriação dos espaços públicos com arte, cultura e debates públicos.
  • Garantir a continuidade da Virada Cultural, para que na troca de prefeito ela não seja desconsiderada e esvaziada. Também deve ser mais regionalizada, isto é, a cada 6 meses uma geral para a cidade toda e a cada 6 meses por várias regiões na cidade.
  • Cumprir as leis referentes à acessibilidade universal, idosos e infância.
  • Promover a construção da Política Cultural Municipal com referências conceituais e metodológicas para o trabalho em cada situação ou equipamento, contemplando ação intersecretarial e transdisciplinar, integração de suas políticas públicas e planos de manutenção.
  • Criar, fortalecer e manter espaços de representação, participação e monitoramento civil (Conselho Municipal de Cultura, Conferência Municipal de Cultura, Fórum Distrital ou Regional, Jornais, Associações de Bairros e rádios comunitárias).
  • Criar um Fundo Municipal de Cultura, com recursos orçamentários por subprefeitura, com regras claras, transparentes e democráticas, cuja gestão esteja vinculada às instâncias de representação acima citadas.
  • Os cargos de gestores devem ser ocupados por concursados, com comprovada competência, e eleitos pela comunidade a partir de proposta de trabalho.
  • O financiamento às artes e cultura deve destinar-se a favorecer a qualidade, a pertinência e o acesso.
  • Orçamento para a cultura: garantir por lei e com distribuição proporcional à demografia.
  • Manter política de Recursos Humanos que inclua plano de carreira e aponte a descrição das competências para cada cargo e concursos públicos, com a participação de profissionais da área em questão e avaliação de desempenho.
  • Devem ser criados e /ou aperfeiçoados os mecanismos que estimulem o investimento em cultura pelo empresariado local.
  • Criar Pólos de Arte Popular na periferia que valorizem a história e cultura local ao mesmo tempo em que promovam atividades diversas, relacionadas às culturas populares do Brasil (música, dança, construção de instrumentos).
  • O Conselho Municipal de Cultura e Paz, aprovado pela Câmara Municipal em dezembro de 2004, foi vetado pelo prefeito Serra, alegando vício de iniciativa. Esta proposta deve ser recuperada, seja pela derrubada do veto pela Câmara ou por projeto específico de iniciativa do executivo.
  • Criar a cultura de Conversa de Rua uma vez por mês em diferentes praças da cidade, com o apoio das subprefeituras.
  • Promover transparência e divulgação ampla do VAI (programa para a Valorização de Iniciativas).
  • Criar a política de ocupação dos espaços públicos, que privilegie a comunidade local (cidadão criador), ofertando espaço e infra-estrutura para as manifestações da comunidade do seu entorno.
  • Implantar Ouvidoria como instrumento para a gestão democrática dos espaços culturais.
  • Promover alternativas, tais como eventos em bibliotecas e escolas, para despertar o interesse dos alunos para freqüentarem esse tipo de ambiente.
  • Desenvolver estratégias de divulgação das ações culturais que contemplem as 31 subprefeituras, privilegiando locais e segmentos de público menos favorecidos pela mídia convencional, quando for o caso.
  • Promover a diversidade cultural, criando espaço para o fortalecimento e a divulgação da cultura dos diversos grupos étnicos que compõem a população da cidade.
  • Projeto de Lei que exija a instalação de obras de arte nas fachadas dos novos prédios residenciais e comerciais.
  • Garantir o dinheiro para incentivo da cultura por meio da coleta seletiva e de materiais feitos recicladamente.

Estrutura Física e Acesso

Conceito de espaço cultural: lugar ou situação que abrigue encontros, vivências, experimentação, manifestações, possibilitando o reconhecimento das identidades, o diálogo entre elas e sua expressão.

  • Implantação de espaços culturais públicos na periferia, assegurando a existência de pelo menos uma Casa de Cultura em efetivo funcionamento por Distrito, para ampliar o acesso da população aos diversos bens culturais.
  • Implantar bibliotecas públicas em todos os Distritos da cidade.
  • Implantar Casas de Cultura em todos os Distritos da cidade.
  • Otimizar os espaços culturais já existentes, com ampliação do horário de atendimento, inclusive aos finais de semana, e da oferta de atividades.
  • Ampliar o sistema móvel de leitura e informação (ônibus biblioteca, caixa-estante).
  • Promover o equilíbrio na distribuição dos espaços culturais, quando da construção de novos ou adaptação / aparelhamento dos já existentes, de acordo com a população de cada subprefeitura.
  • Criar e fazer a manutenção de espaços de brincar, áreas dentro de conjuntos habitacionais, nas escolas públicas, em espaços públicos diversos.
  • Implantar linhas de transporte para roteiros culturais da cidade, a preços acessíveis ou gratuitos.
  • Implantar pontos de distribuição de livros nos terminais rodoviários, assim como intervenções artísticas.
  • Construir mais CCJs (Centro Cultural da Juventude), como o existente na Vila Cachoeirinha, nas periferias de cada zona da cidade e nos parques. Com a construção desses CCJs, poderíamos criar uma rede.
  • Permitir a utilização de prédios públicos abandonados, por empresas privadas, para promoção de eventos sociais, culturais ou esportivos.
  • Toda empresa deveria ser obrigada a adotar um espaço público e cuidar dele.
  • Passagens de ônibus e metrô deveriam ser mais baratas durante os finais de semana, para incentivar a visita às áreas de lazer e pontos turísticos da cidade, e gratuitas para os estudantes.
  • A cidade deve oferecer mais alternativas culturais e possibilitar a participação dos moradores na produção artística, como eventos culturais de rua. Exemplos: carnaval, banda, circos etc.
  • Criar programas culturais e esportivos para pessoas da terceira idade, assim como um Conselho da Terceira Idade em cada subprefeitura.

Educação e conteúdos específicos

  • Manter e/ou ampliar programas culturais significativos, considerando as especificidades, com regularidade e distribuição equilibrada geograficamente pelas 31 subprefeituras.
  • Promover a formação profissionalizante para serviços inerentes à área de cultura, por meio da oferta de cursos gratuitos ou a preços acessíveis.
  • Criar um Centro de Referência da Memória, para mapear, inventariar e cadastrar equipamentos e agentes culturais, manifestações e expressões de cultura popular e seus agentes, grupos, movimentos e instituições culturais.
  • Incluir o registro das manifestações e saberes da cultura popular tradicional, e outras representações da diversidade, no sistema educacional formal.
  • Fazer o acompanhamento do material didático e capacitação de profissionais.
  • Fomentar a cultura como parte da agenda da população, mediante a criação de eventos e ações culturais, e com a inserção do tema na mídia.
  • Criar um Centro de Referência da Cultura da Infância para mapear, inventariar e cadastrar equipamentos e agentes culturais, manifestações e expressões e seus agentes, grupos, movimentos e instituições culturais.
  • Promover discussão e avaliação sobre valores presentes na atuação dos meios de comunicação.

Cultura - Propostas de ações locais

  • Grajaú - Construir novos equipamentos culturais. Os espaços existentes não possibilitam o desenvolvimento de atividades culturais, e a população local perde em acesso às manifestações culturais e ao potencial cultural local.
  • Grajaú - Formação de conselho deliberativo gestor de cultura, formado pela sociedade civil e administração direta (coordenação de cultura, supervisão de cultura).
  • Grajaú - O perfil de supervisor de cultura deve ser coerente com seu propósito, e deve haver um representante local para ocupação dessa função.
  • Grajaú – Disponibilizar os espaços culturais existentes (teatros dos CEUS, escolas, praças) e recursos públicos para ampliação da oferta de atividades culturais, assim como prover equipamentos e infra-estrutura para sua utilização pelos grupos culturais locais.
  • Do complexo cultural em construção na região de Grajaú:
    • Deve ser estabelecida uma política de participação e envolvimento dos movimentos culturais e da população local na elaboração dos programas, e na gestão desse equipamento;
    • Deve ser criado um conselho gestor deliberativo formado por representantes da sociedade civil e o poder público;
    • O complexo deve ter uma dotação orçamentária específica que viabilize a realização de atividades e sua infra-estrutura;
    •  A execução desse orçamento deve ser transparente para a população;
    •  O complexo cultural deve ter autonomia para buscar recursos para viabilizar os projetos, e que estes sejam subordinados ao conselho deliberativo.
  • M’boi Mirim - Implantação de espaços culturais de fácil acesso viário na região.
  • M’boi Mirim - Realizar eventos na região com estrutura pública e privada, conforme calendário cultural da cidade. Exemplo:
  • JANEIRO - Aniversário de São Paulo, aniversário de distritos;

    FEVEREIRO - Grito de carnaval, integração dia da amizade e dia do esportista;

    MARÇO - Integração do dia universal do teatro, dia internacional contra discriminação racial, e dia mundial da água;

    ABRIL - Integração do dia nacional do livro infantil, dia do Índio;

    MAIO - Integração do dia mundial do trabalho com dia do sertanejo, abolição da escravatura, dia da comunidade e dia da juventude, dia mundial da diversidade cultural em conjunto com dia da mata Atlântica;

    JUNHO E JULHO - Integração da semana mundial de meio ambiente nas festas juninas e julinas, dia do imigrante, dia de liberdade de pensamento, dia do motociclista, dia de proteção às florestas;

    AGOSTO - Integração do dia nacional das artes, dia do artista de teatro, dia do folclore dia do estudante, dia mundial da fotografia, e dia nacional da saúde;

    SETEMBRO - Integração semana da pátria, independência do Brasil, dia internacional da alfabetização, dia da luta nacional das pessoas com deficiência, dia da Amazônia, dia internacional para preservação da camada de ozônio, dia da árvore, dia do teatro, dia do frevo, dia mundial sem carro, dia da juventude brasileira;

    OUTUBRO - Integração do dia internacional da terceira idade, dia dos nordestinos, dia das crianças, dia do poeta, dia do professor, dia nacional do livro, dia da democracia, semana da ciência e tecnologia, dia da natureza e dia mundial dos animais;

    NOVEMBRO - Integração do dia da ciência e cultura, dia do cinema brasileiro, dia do radialista, dia nacional de alfabetização, dia internacional do livro, dia do aposentado, dia da música e do músico, dia da criatividade e do inventor, proclamação da república, dia da Bandeira, dia nacional do doador de sangue, dia da consciência negra;

    DEZEMBRO - Integração do dia internacional de combate a AIDS e DST, dia do imigrante, dia nacional do Samba, dia internacional da pessoa com deficiência, declaração universal dos direitos humanos, dia internacionais dos povos indígenas, dia universal do palhaço, dia nacional do ministério público;

    Obs. Todos eventos com participação direta das secretarias de esporte recreação e lazer, meio ambiente, e cultura do município de São Paulo.

  • M’boi Mirim - Criação de Centros Culturais onde os jovens possam estudar música, teatro, dança, cursos profissionalizantes, palestras e exposições, cursos de informática para todas as idades, acessa São Paulo nas periferias e parques. Criação de Bibliotecas comunitárias.
  • Pirituba - Criar um centro cultural com os seguintes espaços e atividades: Biblioteca, espaço para estudo, Lan House, atividades esportivas, oficinas, danças, teatro, espaço para shows, salas de cinema, espaço e atividades dedicadas à 3º idade, espaços para jogos e praça de alimentação.
  • Pirituba - Revitalizar o clube localizado na Rua Dolores Duran com a rua Porto Amarante, que está praticamente abandonado, e que não atende o interesse da população como deveria.
  • São Miguel Paulista - Implantar cineclubes nos pontos de disseminação de cultura que existem na região e promover discussões e debates inerentes aos temas dos filmes.
  • Vila Clementino - Implantar um trajeto turístico cultural focado nos vários edifícios e locais do entorno do bairro que foram erigidos no início do século passado, exemplos da consolidação estética modernista que se instalou em nossa cidade nesse período, incluindo uma ciclovia.
  • Anhangabaú - Que sejam promovidos mais eventos culturais na região.
  • Rio Pequeno - Fazer a manutenção dos espaços que já existem no distrito, tais como o Centro Desportivo Municipal (CDM), que está localizado no Sapé e não é utilizado por falta de equipamentos e profissionais capacitados para o desenvolvimento de atividades com a comunidade.
  • Raposo Tavares - No distrito existe uma necessidade grande de espaços de cultura, lazer e esportes, principalmente na área da Cohab Raposo.
  • Raposo Tavares - Implementação do Plano Diretor Estratégico para a COHAB Raposo Tavares, desenvolvido pela comunidade em parceria com a FAU-USP em 2001.
  • Construir uma Biblioteca na região da Praça Marechal Deodoro.
  • Construir uma Biblioteca na região de Itaquera.
  • Jardim Paulistano – Construir praças, parque público e Centro Cultural.
  • Lapa - Criar bibliotecas públicas na região da Barra Funda.
  • Sé - Criar centros de integração para os jovens da região.
  • Cidade Ademar – Construir centros culturais: um próximo da Av. Yervant Kissajikian e outro da Av. Cupecê.