água

Em bairros mais distantes de São Paulo, torneiras ainda secam à noite

FABRÍCIO LOBEL - FOLHA DE S. PAULO

Baldes cheios de água pela casa e torneiras secas à noite são cenas que, com o fim da crise hídrica em São Paulo, podem estar apenas na memória da maioria dos paulistas. Em alguns bairros da Grande São Paulo, no entanto, a rotina da estiagem e racionamento continua até hoje.

Desperdício de água chega a 31,4% em SP e já supera os anos pré-crise hídrica

De acordo com dados da Sabesp, entre janeiro e setembro foi perdido o equivalente a quatro represas do Guarapiranga com vazamentos na rede e fraudes

Fabio Leite, O Estado de S. Paulo

Menos de um ano após o término declarado da crise hídrica paulista, o desperdício de água tratada registrado pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) voltou a crescer. E já supera os índices de perdas medidos antes do início da seca histórica e do racionamento ocorridos entre 2014 e 2015. 

Por serviço não prestado, Sabesp ganha R$ 813 milhões

Valor, arrecadado pela companhia ao longo de 2014, decorre da cobrança mínima compulsória de 10 mil litros, mesmo se consumo real for menor

Fabio Leite, O Estado de S. Paulo

Um ano após momento crítico, sistema Cantareira vive mudança de cenário

Folha de S.  Paulo

Há um ano, em uma represa no município de Joanópolis, a 120 km de São Paulo, funcionava o “centro nervoso” do sistema Cantareira.

Com a ajuda de máquinas e bombas, era de lá que a água era puxada do fundo do quase seco do manancial e depois distribuída para cerca de 5 milhões de pessoas da Grande São Paulo. À época, a Jaguari-Jacareí operava com apenas 7% de sua capacidade.

Organizações da sociedade civil encaminham carta ao presidente da Sabesp

Documento, assinado por mais de 20 organizações, apresenta propostas para a revisão da estrutura tarifária da empresa

Confira abaixo a íntegra da carta:

São Paulo, 25 de abril de 2016.

Ao Exmo. Sr. Jerson Kelman Presidente da Sabesp

Com cópia para: Exmo. Sr. José Bonifácio de Souza Amaral Filho, Diretor de Regulação Econômico-Financeira e de Mercados da Arsesp 

REF.: PROPOSTAS PARA A REVISÃO DA ESTRUTURA TARIFÁRIA DA SABESP 

Prezado Sr. Jerson Kelman, 

Sem bônus, sem água e com aumento de tarifa

* por Edson Aparecido da Silva

A população do Estado de São Paulo foi surpreendida recentemente com a notícia de um aumento na conta d’água de 8,45% a partir do mês de maio, calculado com base na variação do IPCA no período de março de 2015 a março de 2016 que foi de 9,37%, descontando um fator chamado “fator de eficiência” de 0,94%, chega-se ao reajuste.

Falta de chuvas derruba a qualidade do ar em São Paulo

Calor e carros aumentam nível de ozônio, poluente que traz mais preocupação; gás agride vias aéreas e pulmões

Folha de S. Paulo

Na manhã de segunda-feira (18), uma faixa de poluição podia ser vista sobre a cidade de São Paulo, que passa por período de calor e seca.