concessão

Doria insiste em aval para uso de propaganda em banheiros públicos

GUILHERME SETO - FOLHA DE S. PAULO

A gestão João Doria (PSDB) reenviou nesta segunda-feira (4) à Câmara Municipal de São Paulo o projeto de lei que trata da implantação e da exploração publicitária de banheiros públicos, bicicletários, bancas de flores, e outros itens do mobiliário urbano.

De acordo com o projeto, que ainda precisará passar por duas votações na Câmara, as laterais dos banheiros e demais espaços desses itens poderão abrigar anúncios publicitários, a serem explorados pelas empresas que instalarem e cuidarem da manutenção desses locais.

Conpresp libera demolição do tobogã e cobertura no Pacaembu

Órgão de preservação de bens tombados em São Paulo definiu diretrizes para alterações que poderão ser feitas por quem ganhar a concessão do estádio

Fabio Leite, O Estado de S. Paulo

O órgão responsável pela preservação de bens tombados na cidade de São Paulo decidiu liberar a demolição do tobogã – a arquibancada anexa – e a instalação de uma cobertura no novo Estádio do Pacaembu, que será concedido à iniciativa privada pela gestão João Doria (PSDB) por até 35 anos.  

Com aval para shows, Câmara de SP aprova concessão do Pacaembu

Projeto que prevê a concessão do estádio por até 35 anos recebeu 42 votos a favor e é o primeiro do plano de desestatização da gestão Doria a passar pelo Legislativo

Fabio Leite, O Estado de S. Paulo

Concessão do Pacaembu deve ser votada nesta semana e terá até 35 anos

GUILHERME SETO -  FOLHA DE S. PAULO

Em reunião pela manhã desta terça-feira (29) entre o prefeito João Doria (PSDB) (PSDB) e lideranças da Câmara dos Vereadores ficou definido que o Projeto de Lei 364/2017, que trata da concessão do estádio do Pacaembu, deverá passar por segunda votação nos próximos dias.

Havia a possibilidade de que o projeto fosse votado na Câmara ainda nesta terça (29), que não se concretizou. Dessa forma, a votação deve acontecer nesta quarta (30) ou no máximo na quinta-feira (31).

Doria diz que dinheiro de concessão do Bilhete Único não será carimbado para transporte

Prefeito admitiu, no entanto, que verba arrecadada com seu plano de desestatização pode ser gasto com custeio do sistema de ônibus

Fabio Leite, O Estado de S.Paulo

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), disse nesta segunda-feira, 28, que o dinheiro arrecadado pela Prefeitura com a concessão do Bilhete Único dos transportes à iniciativa privada não terá destino "carimbado" para subsidiar as passagens de ônibus da capital, como defendem aliados do tucano na Câmara Municipal. Neste ano, o gasto com subsídios deve chegar R$ 3 bilhões.

Mercado imobiliário mira concessão de terminais de ônibus de São Paulo

Os governos de Londres, Hong Kong e Cidade do México já capitalizaram bastante com a exploração das áreas vizinhas a seus grandes terminais de transporte –da permissão de verticalização a construções em cima dos mesmos, onde o metro quadrado é valorizado segundo o número de pessoas que ali circulam.

Agora que governo do Estado e prefeitura preparam concessões dos terminais paulistanos, o mercado imobiliário quer conhecer o potencial desse novo negócio.

CCJ faz Audiência inédita sobre concessão de terminais de ônibus

 

RAFAEL ITALIANI, DA REDAÇÃO - CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO

Na sexta-feira (25/8) a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara Municipal de São Paulo realizou a sétima e última Audiência Pública do Projeto de Lei (PL) 367/2017, texto que prevê a concessão de uma série de serviços e bens públicos à iniciativa privada. O tema do debate foi o plano da Prefeitura de buscar parcerias para os 27 terminais de ônibus, assunto que ainda não tinha sido discutido na Casa.

Governo de SP concederá 15 terminais integrados ao metrô por 40 anos

Haverá autorização para o novo concessionário verticalizar as áreas das plataformas de ônibus e alugar esses espaços, mas com a obrigação de que as melhorias retornem para o poder público. Plano se assemelha ao anunciado pela Prefeitura

Bruno Ribeiro e Fabio Leite, O Estado de S.Paulo

Para conceder terminais, Doria inclui construção e venda de áreas do entorno

Ideia é permitir negociação de 1,4 milhão de m² em um raio de 600 metros dos terminais de ônibus ou sobre eles. Prefeitura destaca que objetivo não é obter contrapartidas, mas deixar de gastar cerca de R$ 150 milhões por ano com manutenção

Bruno Ribeiro e Fabio Leite, O Estado de S.Paulo

Audiência sobre mercados municipais reúne 450 pessoas na Câmara

RAFAEL ITALIANI, DA REDAÇÃO - CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO

A segunda Audiência Pública para discutir a concessão de mercados e sacolões municipais teve a participação de 450 pessoas, segundo cálculos da GCM (Guarda Civil Metropolitana). Na tarde desta segunda-feira (7/8), a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara Municipal de São Paulo realizou mais um debate sobre o Projeto de Lei (PL) 367/2017.