corujão da saúde

1 em cada 6 exames do Corujão é na rede privada; fila cai

Mutirão atendeu 234,7 mil até agora e 51,7 mil esperam a vez; gestão destaca que atingiu a marca de 1 procedimento a cada 20 segundos

Bruno Ribeiro e Fabiana Cambricoli, O Estado de S.Paulo

Corujão enxuga fila de exames, mas paciente esbarra em outros entraves

Por Angela Pinho

Após pouco mais de um mês em operação, o Corujão da Saúde, principal vitrine do prefeito João Doria (PSDB) para a área, cumpriu a missão de enxugar a fila de exames médicos em São Paulo.

Os pacientes, no entanto, continuam a esbarrar em antigos entraves da rede municipal, que não receberam a mesma atenção da gestão.

Em um mês de programa, foram realizados 141,3 mil exames, e outros 270 mil foram agendados para, no máximo, abril. Os procedimentos atenderão 485 mil pessoas que estavam na fila até dezembro do ano passado.

Leia a íntegra do relatório que aponta 9 irregularidades no Corujão da Saúde

Para técnicos do órgão, edital "não reúne condições de prosseguimento"; Prefeitura tem até sexta-feira para enviar respostas ao TCM.

Um relatório feito por técnicos do Tribunal de Contas do Município (TCM) apontou nove irregularidades no programa Corujão da Saúde, como o Estado publicou na sua edição impressa desta segunda-feira, 13. O relatório diz que o edital para chamamento das unidades médicas que vão fazer os exames “não reúne condições de prosseguimento” por causa dessas irregularidades.

‘Corujão da Saúde’ já tem 20 hospitais parceiros

Além de Sírio Libanês, Oswaldo Cruz e HCor, outras 17 unidades passarão a realizar os exames para os pacientes em fila de espera

De Secretaria Executiva de Comunicação

O “Corujão da Saúde” da Prefeitura de São Paulo já conta com 20 hospitais e clínicas parceiros do setor privado. Além de Oswaldo Cruz, Sírio Libanês e HCor, que iniciaram os atendimentos em 10 de janeiro, outros 17 serviços passarão a realizar exames para o programa, que tem como meta zerar até abril a fila de pacientes.

Corujão atenderá 16% da fila de exames no primeiro mês

Governo estuda mais ônibus de madrugada para levar população; Santa Casa cuidará de consultas posteriores

Fabiana Cambricoli, O Estado de S. Paulo

Lançado oficialmente nesta terça-feira, 10, o programa Corujão da Saúde, proposta da gestão João Doria para zerar a fila de espera por exames na capital, realizará em seu primeiro mês 80 mil exames, o equivalente a 16% da lista de 485 mil pacientes que aguardam esse tipo de atendimento hoje. A promessa de Doria é acabar com a fila em três meses. O custo total do projeto será de R$ 17 milhões.

Programa “Corujão da Saúde” começa a realizar exames

Ação tem como meta zerar a fila de 485,3 mil exames em um prazo de 90 dias

De Secretaria Executiva de Comunicação

O prefeito João Doria lançou na noite desta terça-feira (10) o programa “Corujão da Saúde”. A ação tem como meta zerar a fila de 485,3 mil exames em um prazo de 90 dias. Oito hospitais particulares já estão credenciados para atender a população, entre eles o Hospital do Coração (HCor), Sírio-Libanês e o Oswaldo Cruz.

'Corujão' não ataca as questões cruciais da saúde em SP

Por cláudia collucci - Folha de S. Paulo

O programa Corujão da Saúde começa nesta terça (10) em três hospitais privados e filantrópicos de São Paulo com a meta de zerar, em 90 dias, a fila de cerca de 500 mil pedidos de exames.

É uma medida emergencial e temporária como a própria gestão de João Doria (PSDB) reconhece. E as medidas concretas, os projetos de fôlego para melhorar a saúde de São Paulo, quando serão anunciados?