João Doria

Doria estuda projeto para Minhocão com parque, 'praia' e restaurantes

ROGÉRIO GENTILE - FOLHA DE S. PAULO

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), estuda transformar o Minhocão, pelo qual passam cerca de 78 mil carros por dia, em um parque linear nos moldes do High Line, antiga linha férrea de Nova York que virou uma área de lazer suspensa.

O projeto, batizado de "Parque Minhocão", foi sugerido a Doria pelo arquiteto Jaime Lerner, ex-prefeito de Curitiba, mas depende de estudos técnicos que a administração começou a fazer para avaliar o impacto no trânsito e os modelos de financiamento pela iniciativa privada.

População de rua dobra desde 2000 e se espalha pela cidade de São Paulo

Dados oficiais indicam que 15.905 pessoas pernoitam na rua ou em albergues da capital – mais do que os habitantes de 61% das cidades; gestão Doria estima salto de até 57% em 2 anos. Especialista liga fato à crise e à ampliação da assistência social

Felipe Resk, O Estado de S.Paulo

Doria quer remover trechos de ciclovia sem conexão com transporte público

MARIANA ZYLBERKAN - FOLHA DE S. PAULO

O plano da gestão João Doria (PSDB) para as ciclovias inclui a remoção dos trechos que não tiverem conexão com o transporte público nem com outras rotas de bicicletas de São Paulo. O objetivo da revisão, segundo a prefeitura, é priorizar somente as rotas que permitam ligar diferentes regiões da cidade.

Doria descumpre promessas, perde secretária, e nova cracolândia surge

ARTUR RODRIGUES E LEANDRO MACHADO, DE SÃO PAULO, E JOELMIR TAVARES, DA COLUNA MÔNICA BERGAMO - FOLHA DE S. PAULO

O prefeito João Doria (PSDB) descumpriu ações prometidas para a estreia de seu programa anticrack e, como consequência disso, o centro de São Paulo ganhou uma nova cracolândia a apenas 400 metros daquela decretada como extinta pelo próprio tucano no domingo (21).

Prefeitura de SP vai reduzir verba de postos de saúde e hospitais

TATIANA CAVALCANTI, DO "AGORA"

A gestão João Doria (PSDB) vai reduzir a verba destinada às 12 OSSs (organizações sociais de saúde) que gerenciam 730 unidades de saúde da capital, entre postos, AMAs (Assistências Médicas Ambulatoriais), prontos-socorros e hospitais. A redução será de 7,2%, de acordo com ata de reunião realizada pela Secretaria Municipal da Saúde no início deste mês.

De acordo com o documento, haverá corte de 5% do "valor assistencial", que inclui salários dos profissionais e manutenção, e 2,2% do "institucional", que é a estrutura administrativa.