lixo

Sabesp estuda administrar o destino do lixo na Grande São Paulo

FABRÍCIO LOBEL, DE SÃO PAULO, E EDUARDO SCOLESE, EDITOR DE "COTIDIANO" - FOLHA DE S. PAULO

Empresa de água e esgoto do governo paulista, a Sabesp estuda agora ampliar sua área de atuação e começar a tratar também da destinação de lixo na Grande São Paulo.

Contratos de lixo em SP têm serviço fantasma de R$ 612 mi, diz auditoria

ROGÉRIO GENTILE - FOLHA DE S. PAULO

Auditorias realizadas pelo Tribunal de Contas do Município constataram que as duas empresas responsáveis pela coleta, tratamento e destinação do lixo em São Paulo receberam R$ 612 milhões a mais do que o necessário.

Segundo os relatórios técnicos do TCM, obtidos pela Folha com base na Lei de Acesso à Informação, a Loga e a EcoUrbis não cumpriram com obrigações estabelecidas em contrato, embora tenham sido remuneradas por elas.

Prefeitura de SP diz que pouco lixo reciclado é resultado da baixa adesão

Por ARTUR RODRIGUES, DE SÃO PAULO - Folha de S. Paulo

A gestão Fernando Haddad (PT) afirma que a quantidade de lixo reciclado abaixo da esperada se deve à baixa adesão por parte da população e aos furtos do material reciclado.

"Não tem tido uma adesão grande, os caminhões estão rodando, centrais funcionando e o volume coletado tem sido mais baixo que o esperado", diz o secretário municipal de Serviços, Simão Pedro (PT).

Ele afirma também que grandes volumes de materiais têm sido coletados por grupos clandestinos.

Lixo: Em vez de reduzir, país gera mais resíduos e cidades seguem usando lixões

Por Mara Gama - colunista do Uol

Na contramão do bom senso e da sustentabilidade, a produção de lixo residencial urbano aumentou 29% no Brasil nos últimos dez anos. Só em 2014, foram geradas 78,6 milhões de toneladas de resíduos, um crescimento de 2,9% em relação a 2013.

São Paulo tem mais de 3.000 pontos de descarte de lixo irregular

Por Leandro Machado

Com fiscalização falha, a capital paulista tem 3.345 pontos ilegais de despejo de entulho e lixo, mostra relatório da prefeitura. A maior parte deles (66%) é de responsabilidade de empresas irregulares de transporte de restos de obras.

Para fazerem o serviço, as transportadoras precisam estar cadastradas na Amlurb (autoridade municipal de limpeza) e comprovar o despejo nos locais autorizados.

Sacolinha em São Paulo será padronizada a partir de fevereiro

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, divulgou nesta quarta-feira (7) a regulamentação da lei sobre a distribuição das sacolinhas no varejo da cidade.

A partir de 5 de fevereiro, os estabelecimentos da capital serão obrigados a ter sacos padronizados, que podem ser reutilizados exclusivamente para o descarte de lixo reciclável. As tradicionais sacolas plásticas distribuídas atualmente ficam proibidas.

As embalagens poderão ser doadas ou vendidas pelas lojas, segundo Haddad.

Prefeitura quer multar quem joga lixo na rua

Expectativa é iniciar programa neste ano; legislação atual prevê R$ 500 por infração.

Por Bruno Ribeiro e Diego Zanchetta