metrô

Velocidade para ampliar metrô em 'metrópole irmã' é 4 vezes a de SP

ALENCAR IZIDORO, ENVIADO ESPECIAL A SEUL - FOLHA DE S. PAULO

Imagine uma metrópole emergente que, diferentemente de cidades da Europa e dos EUA, demorou para começar a construir sua rede de metrô e inaugurou a primeira linha só em 1974.

Com mais de 10 milhões de habitantes na capital e de 20 milhões na região metropolitana, enfrentou nas últimas quatro décadas períodos de boom e de derrocada econômica, além de eventos esportivos mundiais que poderiam impulsionar a infraestrutura de transporte. Foi assim em São Paulo, foi assim em Seul.

SP faz missão para promover concessões do metrô na Europa

Folha de S. Paulo

Uma missão composta por representantes do governo paulista vai desembarcar, na próxima terça-feira (18), em Bruxelas para promover a concessão das linhas 5-lilás (metrô) e 17-ouro (monotrilho).

A informação foi publicada nesta quinta-feira (13) pelo "Valor Econômico" e confirmada pela Folha.

O secretário estadual de Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni, e mais dois representantes da pasta terão encontros com executivos dos segmentos de transporte e infraestrutura, além de bancos e fundos de investimentos da Europa.

Investimento em metrô cai 30% em São Paulo

Governo estadual alega avanço de obras e rompimento de contratos; balanço da companhia revela ainda menor nº de passageiros em 5 anos

Fabio Leite e Juliana Diógenes, O Estado de S. Paulo

O investimento do governo Geraldo Alckmin (PSDB) na manutenção e na expansão da rede de metrô na capital caiu 30% no ano passado. Balanço da Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô) mostra que a estatal investiu R$ 2,34 bilhões em 2016, menor valor em cinco anos. Em 2015, o aporte foi de R$ 3,3 bilhões, em valores corrigidos pela inflação.

Atraso de governo Alckmin fará SP indenizar linha 4 do metrô

Por Rodrigo Russo

O governo de São Paulo precisará pagar uma indenização à operadora da linha 4-amarela do metrô por atraso na entrega de estações, caso não renegocie os termos de um compromisso firmado com a empresa.

Em acordo entre a gestão Alckmin (PSDB) e a concessionária ViaQuatro, assinado em 2014, estabeleceu-se o fim de março de 2018 como prazo para inauguração das estações da segunda fase da linha 4. Fazem parte desse pacote as paradas Oscar Freire, Higienópolis-Mackenzie, São Paulo-Morumbi e Vila Sônia.

Alckmin avalia nova licitação em 'linha das universidades' do metrô de SP

RODRIGO RUSSO - FOLHA DE S. PAULO

O governo Geraldo Alckmin (PSDB) já considera promover uma nova licitação para levar adiante a construção e operação da linha 6-laranja do metrô. As obras estão paradas, e as empresas hoje responsáveis pela empreitada estão com dificuldades em obter empréstimos de longo prazo.

Governo Alckmin planeja privatização da linha 2-verde do metrô de SP

RODRIGO RUSSO - FOLHA DE S. PAULO

Para concretizar a antiga promessa de estender a linha 2-verde do metrô até Guarulhos (Grande São Paulo), a gestão Geraldo Alckmin (PSDB) estuda conceder esse ramal à iniciativa privada.

A proposta de viabilizar a expansão da linha –da Vila Prudente à Dutra, com 14 km e 13 novas estações– dessa forma foi incluída em apresentação da direção da companhia obtida pela Folha.

Governo de São Paulo garante conclusão da linha Lilás do Metrô neste ano

Por André Vieira - Metro Jornal

O governo do Estado de São Paulo encaminhou ontem projeto de lei à Assembleia Legislativa que retira R$ 200 milhões da construção da linha 6-Laranja do Metrô e transfere estes recursos para a linha 5-Lilás. Com o aporte, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) garante que o ramal será concluído até o fim deste ano.

O remanejamento da verba será solicitado ao BNDES, que está financiando parte das duas obras, mas precisa antes de autorização dos deputados para ser celebrado.

Metrô de Alckmin esvazia verba para operação e modernização da rede

RODRIGO RUSSO - FOLHA DE S. PAULO

Enfrentando grave crise orçamentária, o Metrô, companhia pública ligada ao governo Geraldo Alckmin (PSDB), registrou uma queda significativa de investimentos em operação e modernização.

Levantamento baseado em informações orçamentárias da própria empresa mostra redução de quase 60% em gastos com a manutenção de linhas, trens e estações nos últimos dois anos.