mortes no trânsito

Mortes no trânsito em SP caem 7%, mas aumentam em 8 das 10 vias mais letais

Marginal Tietê registrou 20 mortes, 42,86% de aumento em relação a 2016. Avenida Teotônio Vilela registrou aumento de 90% e na Marechal Tito, o número de mortos dobrou.

Portal G1

O número de mortes nas vias da cidade de São Paulo caiu 7% de 2016 para 2017, mas aumentou em 8 das 10 vias mais letais da cidade, entre elas as marginais Tietê e Pinheiros, segundo dados da Companhia de Engenharia de Tráfego divulgados nesta sexta-feira (13).

Cidade de SP registra 883 mortes no trânsito em 2017, redução de 7%; pedestres lideram o ranking de vítimas

Em todo o ano passado, 395 pedestres morreram, 1,5% a mais do que em 2016, segundo dados do Infosiga, órgão estadual que contabiliza as mortes no trânsito.

Por G1 SP, São Paulo

A cidade de São Paulo registrou 883 mortes resultantes de acidentes de trânsito no ano de 2017, segundo dados do Infosiga, site do governo estadual que concentra estatísticas de óbitos no trânsito. O número é 7,1% menor que o registrado no ano de 2016, quando ocorreram 950 óbitos.

Ciclistas e pedestres puxam alta de mortes no trânsito na cidade de SP

FABRÍCIO LOBEL - FOLHA DE S. PAULO

A cidade de São Paulo já acumula entre janeiro e julho deste ano 552 mortes no trânsito (ou 2,38 por dia). O número é cerca de 2% maior em relação ao mesmo período do ano passado. O número de ciclistas, pedestres e motociclistas mortos impulsionaram essa alta. Os dados são do Infosiga, do governo do Estado.

Pedestres não são prioridade, mostram mortes no trânsito

LEANDRO NOMURA - COLABORAÇÃO PARA A FOLHA DE S. PAULO

Entre fevereiro e abril deste ano, a cidade de São Paulo registrou um aumento de 37% no número de mortes por atropelamento em comparação ao mesmo período de 2016, de acordo com dados do governo paulista.

A falta de segurança para pedestres e ciclistas, na opinião de Letícia Lemos, diretora da associação de ciclistas Ciclocidade, está relacionada ao modelo de mobilidade urbana brasileiro, que segundo ela é centrado no uso do carro.

Organizações e cidadãos são convidados a assinar o Manifesto em Defesa da Vida

Iniciado pela Rede Nossa São Paulo, documento, que defende a redução das mortes causadas pelos acidentes de trânsito e pela poluição do ar, será entregue ao prefeito eleito da capital paulista. Mais de 60 organizações e centenas de pessoas físicas assinaram o Manifesto. Assine também!

Por Airton Goes, da Rede Nossa São Paulo

Velocidade nas vias públicas: diferença de 8 km/h reduz pela metade o risco de vida

Por Joel Leite - blog O Mundo em Movimento

A aprovação da redução da velocidade nas ruas de São Paulo pela maioria da população reflete a compreensão sobre a necessidade de reduzir os acidentes e as mortes no trânsito. Pesquisa Ibope divulgada nesta quarta-feira (22) indica que 51% dos paulistanos aprovam a redução da velocidade e também as ciclovias e ciclofaixas.

A redução da velocidade vem atender uma recomendação da ONU nesta que é a Década da Segurança de Trânsito e está em conformidade com outros grandes centros urbanos, onde a máxima é de 50 km/h.

Com Haddad, nº de radares cresce 57,5%; já há 925 equipamentos

Aparelhos foram instalados desde janeiro de 2013, quando prefeito assumiu mandato; arrecadação subiu 19% no período

ADRIANA FERRAZ E RAFAEL ITALIANI - O ESTADO DE S. PAULO

O número de radares em funcionamento na capital cresceu 57,5% durante a gestão do prefeito Fernando Haddad (PT). Quando ele assumiu o governo, em janeiro de 2013, os motoristas que circulavam pela cidade eram fiscalizados por 587 equipamentos. Hoje, são 925 espalhados em ruas e avenidas de todas as regiões de São Paulo.

Capital registra queda de 20,3% em mortes no trânsito

De acordo com dados da CET, morreram 175 pessoas a menos em acidentes de janeiro a agosto deste ano, comparado ao mesmo período do ano passado. Também houve queda da lentidão no trânsito 13% no pico da manhã e 16% a tarde.