parque augusta

Doria decide criar Parque Augusta e vai oferecer terrenos a construtoras

Prefeito informou Ministério Público que já negocia com Setin e Cyrela; para secretário, caso deve ser resolvido em 30 dias

Bruno Ribeiro, O Estado de S. Paulo

A Prefeitura de São Paulo acatou proposta do Ministério Público Estadual para viabilizar a construção do chamado Parque Augusta, no centro da capital. A gestão João Doria (PSDB) vai oferecer terrenos públicos para indenizar as construtoras Setin e Cyrela, donas da área, e fará o parque, mantendo a área verde em 100% do lote de propriedade das empresas, que antes abrigaria arranha-céus. 

Troca de terrenos pode viabilizar Parque Augusta

Ideia foi levantada em reunião ocorrida nesta quinta no Ministério Público Estadual

EDISON VEIGA, Em parceria com FELIPE RESK - O Estado de S. Paulo

Doria busca saída ‘sem verba’ no Parque Augusta

Ideia da gestão é ofertar transferência de potencial construtivo para construtoras; área de 23,7 mil m² está sob disputa judicial

Adriana Ferraz, O Estado de S. Paulo

A futura gestão João Doria (PSDB) pretende viabilizar o Parque Augusta com a oferta de transferência de potencial construtivo às empreiteiras donas do terreno de 23,7 mil metros quadrados, entre as Ruas Caio Prado e a Marquês de Paranaguá, no centro. A área está sob disputa judicial. A ideia é que Setin e Cyrela liberem o parque sem exigir o pagamento de R$ 120 milhões que pleiteiam.

Bancos estrangeiros indenizam SP em R$ 81,5 mi por desvios de Maluf

ARTUR RODRIGUES - FOLHA DE S. PAULO

Dois bancos estrangeiros transferiram para o Brasil nesta semana o equivalente R$ 81,5 milhões a título de indenização por ajudar a lavar dinheiro desviado pelo ex-prefeito Paulo Maluf (PP) de obras viárias na cidade de São Paulo —o que ele nega.

O anúncio foi feito nesta quarta-feira (3) em entrevista coletiva com membros do Ministério Público do Estado e o prefeito Fernando Haddad (PT).

O dinheiro será reservado para a compra do terreno do futuro Parque Augusta, na região central, e para a construção de cerca de 20 creches.

Juíza faz proposta para a criação do Parque Augusta

Terreno seria cedido em troca de títulos da Prefeitura para que empresas construam a mais em outros empreendimentos na cidade

Felipe Resk e Paula Felix - O Estado de S.Paulo

MPE pede que construtoras devolvam parque Augusta à prefeitura, diz TV

Folha de S. Paulo

O Ministério Público Estadual pediu à Justiça que construtoras devolvam a área onde deveria ficar o parque Augusta, na região central de São Paulo, para a Prefeitura, segundo informações do jornal "SPTV", da Globo.

Parque Augusta reabre para público após decisão judicial

Tribunal de Justiça determinou em abril que passagem de cidadãos pelo terreno deveria ser mantida; local estava fechado desde 2013.

O Parque Augusta, na região central de São Paulo, reabriu as portas para acesso do público nesta quarta-feira, 1°, em cumprimento a uma decisão judicial. A entrada estava fechada há um ano meio, desde que as construtoras Cyrela e Setin formalizaram a aquisição do terreno.

Parque Augusta, no centro de SP, será reaberto em 1º de julho por decisão judicial

Apesar do acesso pelo portão da rua Marquês de Paranaguá, parque estará dividido por tapumes isolando a área em que as construtoras pretendem erguer empreendimentos.

O Parque Augusta, no centro de São Paulo, será reaberto ao público quarta-feira (1º) em cumprimento a uma decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo, que acatou recurso de moradores do bairro e ativistas, reivindicando o acesso à área e o cumprimento da Lei 15.941, de 2013, que criou o parque.

GT Meio Ambiente divulga documento em defesa de parques e áreas verdes

No evento da Rede Nossa São Paulo também foi feita a defesa do Parque Augusta, como um espaço público municipal sem prédios.

Por Airton Goes, da Rede Nossa São Paulo

A questão do meio ambiente também foi tema do evento de lançamento da edição atualizada do Mapa da Desigualdade em Paulo, realizado nesta terça-feira (19/5).

Combater a desigualdade é o maior desafio da cidade

A versão atualizada do Mapa da Desigualdade, lançada pela Rede Nossa São Paulo, mostra que persiste o abismo social entre distritos da cidade.

Por Airton Goes, da Rede Nossa São Paulo