prefeitura

Pedido de credencial para vaga de estacionamento de idoso aumenta mais de 300% em SP

Prefeitura estima que mais de 1,5 milhão de idosos com direito ao benefício não deram entrada no processo

Ana Paula Niederauer, O Estado de S.Paulo

A procura pelo cartão de estacionamento para idosos e deficientes físicos em São Paulo aumentou em 333% desde o dia 1º. A partir desssa data, a Polícia Militar e a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) começaram a multar quem para irregularmente em vagas desse tipo localizadas em estacionamentos privados.

Prefeitura de SP atrasa resposta em 57% das reclamações de moradores

THIAGO AMÂNCIO E RAPHAEL HERNANDES - FOLHA DE S. PAULO

Buracos no asfalto, mato alto, bueiros entupidos, falta de varrição. Essas são situações cotidianas, visíveis a qualquer um que se disponha a percorrer São Paulo.

Por isso, são também algumas das queixas mais numerosas feitas à prefeitura da capital paulista por meio do 156, central que reúne solicitações e reclamações da população.

Fundo Imobiliário já tem cerca 2 mil terrenos, diz secretário

DA REDAÇÃO - CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO

O secretário municipal de Desestatização e Parcerias, Wilson Poit, disse nesta quarta-feira (23/8) que a Prefeitura já cadastrou 1.904 terrenos para serem vendidos para a criação de um Fundo Imobiliário.

Escola municipal de São Paulo marca aluno para não repetir merenda

REGIANE SOARES, DO "AGORA"

Uma escola municipal da gestão João Doria (PSDB) está marcando os alunos que comem a merenda para que eles não repitam o lanche quando são servidos alimentos industrializados, como bebida láctea e bolachas.

Desde o início do mês, quando voltaram as aulas, os estudantes da Emef (Escola Municipal de Ensino Fundamental) João Amós Comenius, na Brasilândia (zona norte), recebem uma bolinha ou um risco na mão, feito com um canetão, quando se servem da merenda industrializada. Assim, eles não podem pegar mais.

Rede Nossa São Paulo é contra instalação de portões nos acessos ao Minhocão

Coordenador-geral da organização, Jorge Abrahão, considera que medida se contrapõe à ideia de cidades mais humanas e inclusivas

Por Rede Nossa São Paulo

A iniciativa da Prefeitura, de instalar portões nas alças de acesso ao Elevado João Goulart, conhecido como Minhocão, é motivo de críticas por parte da Rede Nossa São Paulo.

Recentemente anunciada, a medida da gestão municipal visa restringir o acesso de pessoas à via em determinados horários. 

Placas da Prefeitura de SP que infringiam Lei Cidade Limpa são removidas de avenida

Após revitalização, gestão Doria autorizou que placas publicitárias em desacordo com lei que combate poluição visual fossem colocadas em canteiro central da Avenida Brasil, na Zona Oeste de SP.

Por Will Soares, portal G1.

A Prefeitura de São Paulo começou a retirar, na manhã de quarta-feira (16), as placas publicitárias irregulares que ela mesmo permitiu que fossem expostas na Avenida Brasil, na Zona Oeste da cidade. O G1 presenciou o momento em que uma equipe do governo municipal removia as propagandas por volta das 11h.

Para conceder terminais, Doria inclui construção e venda de áreas do entorno

Ideia é permitir negociação de 1,4 milhão de m² em um raio de 600 metros dos terminais de ônibus ou sobre eles. Prefeitura destaca que objetivo não é obter contrapartidas, mas deixar de gastar cerca de R$ 150 milhões por ano com manutenção

Bruno Ribeiro e Fabio Leite, O Estado de S.Paulo

Capital paulista tem só 8 semáforos para cegos

Os 53 mil moradores que não enxergam correm riscos ao atravessar ruas; Prefeitura promete aumentar número de sinais apropriados

Juliana Diógenes, O Estado de S.Paulo

Com 53 mil habitantes cegos, a cidade de São Paulo tem apenas oito semáforos sonoros – voltados para pessoas com deficiência visual –, sendo a metade na região do Aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo. Entre os que estão nas ruas da capital, nenhum equipamento funciona na totalidade da travessia. Em um deles, na zona sul da cidade, o botão sequer existe mais. 

Doria quer serviço de assinatura na vigilância pública

Prefeitura pretende lançar Parceria Público-Privada para sistema de monitoramento e, com os recursos, aumentar o total de câmeras

Bruno Ribeiro *, ENVIADO ESPECIAL - O ESTADO DE S. PAULO

Prefeitura de São Paulo agora quer vender sobras de terrenos

Estimativa da gestão Doria aponta que a cidade tem ao menos 40 áreas desse tipo, que poderiam render até R$ 20 milhões

Bruno Ribeiro, O Estado de S. Paulo

A Prefeitura publicou nesta terça-feira, 18, um comunicado oferecendo a venda de áreas públicas que sobraram de obras antigas ou que foram desapropriadas e terminaram sem utilização (as chamadas nesgas), para vizinhos que possam interessar-se pela compra delas.