Programa de Metas

#MetasDeSP: Plantar 200 mil árvores não alterará situação preocupante da cidade

Avaliação é de organizações que avaliaram o item 27 do Programa de Metas proposto pela Prefeitura de São Paulo

Por Airton Goes, da Rede Nossa São Paulo

Organizações que atuam na área ambiental fizeram uma análise do item do Programa de Metas proposto pela Prefeitura que prevê “plantar 200 mil árvores no município, com prioridade para as 10 prefeituras regionais com menor cobertura vegetal” (meta 27). 

#MetasDeSP: Porquê a meta para resíduos precisa ser revista

Análise do item 28 do Programa de Metas proposto pela Prefeitura, que prevê reduzir em 100 mil toneladas/ano os rejeitos de resíduos enviados a aterros municipais 

Artigo de Guilherme Turri, especialista em estratégias e mobilização social para resíduos sólidos e fundador da Sintropia Laboratório de Inteligência Social 

Audiências temáticas sobre Programa de Metas têm pouca participação

Entre as possíveis razões para a baixa frequência estão a realização simultânea dos cinco eventos e o desafio de relacionar as propostas de metas da Prefeitura com as demandas locais e setoriais da população 

Por Airton Goes, da Rede Nossa São Paulo

#MetasDeSP: Meta 1 prevê aumentar cobertura da atenção primária à saúde para 70% na cidade

De acordo com dados da proposta do Programa de Metas apresentada pela Prefeitura de São Paulo, índice base seria 61,3% (2016); Meta e ações ainda não estão regionalizadas 

Por Airton Goes, da Rede Nossa São Paulo

Na primeira versão do Programa de Metas 2017-2020 apresentado pela Prefeitura de São Paulo, a meta 1 promete “aumentar a cobertura da atenção primária à saúde para 70% na cidade de São Paulo”. Para alcançar a porcentagem prevista nos próximos quatro anos, a gestão Doria partiria do índice base de 61,30% (2016).        

Confira a análise do Programa de Metas da gestão 2017-2020

A lei do Plano de Metas é uma iniciativa da Rede Nossa São Paulo e determina que todo prefeito, eleito ou reeleito, apresentará o Programa de Metas de sua gestão, até noventa dias após sua posse, que conterá as prioridades: as ações estratégicas, os indicadores e metas quantitativas para cada um dos setores da Administração Pública Municipal, subprefeituras (prefeituras regionais) e distritos da cidade, observando, no mínimo, as diretrizes de sua campanha eleitoral e os objetivos, as diretrizes, as ações estratégicas e as demais normas da lei do Plano Diretor Estratégico.