rodízio

Presidente da Sabesp garante que não haverá rodízio em 2015

Por KÁTIA KAZEDANI, da redação - Câmara Municipal de São Paulo

O presidente da Sabesp, Jerson Kelman, garantiu nesta quarta-feira (13/5) que neste ano não haverá rodízio de água em São Paulo. De acordo com ele, a vazão no Cantareira, a redução do volume de água retirado do sistema e o investimento em obras para aumentar a distribuição do produto são os principais motivos para dar essa segurança à população.

Com a crise, lucro da Sabesp cai pela metade e rodízio não está descartado

Valor de mercado baixou de R$ 18,1 bilhões para R$ 11,6 bilhões, conforme balanço de 2014; companhia informa ainda que, se estiagem continuar e reservatórios permanecerem reduzidos, não pode assegurar o fornecimento para toda a população.

Por Fabio Leite

Prefeitura abandona a ampliação do rodízio de veículos em São Paulo

Por Leandro Machado

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), abandonou de vez a ideia de estender o rodízio de veículos a vias da periferia e de aumentar o período de restrição para além dos horários de pico.

Hoje, o rodízio de veículos vale no chamado centro expandido das 7h às 10h e das 17h às 20h, com exceção de finais de semana e feriados.

A expansão das vias foi dada como certa no ano passado pelo secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto.

Alckmin defende pressão menor que a norma para ‘evitar rodízio’

Governador havia negado manobra em dezembro, mas agora defende ‘razoabilidade’; PT quer abrir CPI na Assembleia

Por Edgar Maciel e José Roberto Castro - O Estado de S.Paulo 

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) defendeu ontem o não cumprimento da recomendação da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) de manutenção de ao menos 10 metros de coluna de água na vazão do abastecimento. Alckmin disse que essa é uma questão de “razoabilidade” e o governo está tomando as medidas possíveis “para evitar o rodízio”.

Sabesp prevê 2015 sem rodízio na Grande SP

Para dirigentes da empresa, mesmo com poucas chuvas, obras ampliarão oferta de água na região metropolitana; Discurso repete a linha adotada por Alckmin; diretor da estatal diz, porém, que situação ainda é crítica.

Na mesma linha adotada na semana passada pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB), o comando da Sabesp informou ontem (25/2) que os moradores da Grande SP não deverão passar por um rodízio de água neste ano.

Após chuvas, Alckmin suspende 'pacote de transparência' sobre rodízio

Por GUSTAVO URIBE, da Folha de S. Paulo

Com as chuvas de fevereiro e o avanço dos níveis das represas da Grande São Paulo, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) decidiu adiar a divulgação do chamado "pacote de transparência" que preparava sobre a crise hídrica.

A principal medida se referia ao chamado "gatilho" de um eventual rodízio de água.

Até a semana retrasada, a decisão do governo paulista era tornar público nesta semana um percentual mínimo que o sistema Cantareira deveria atingir até o final de março para evitar a adoção da medida.

Não se pode descartar o rodízio em São Paulo, afirma Alckmin

Governador, porém, disse que chuvas e obras poderão evitar a interrupção do abastecimento; Gestão tucana vai aguardar até o final de março a recuperação do sistema Cantareira para tomar uma decisão.

Por Gustavo Uribe e Fabrício Lobel

Em meio à grave crise hídrica, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) não descartou nesta sexta (13) a possibilidade de decretar rodízio de água na Grande São Paulo.

Plano do governo de SP prevê início do rodízio só a morador do Cantareira

Por Daniela Lima

Um cada vez mais provável rodízio de água na Grande São Paulo ficará restrito inicialmente à região abastecida pelo Cantareira, sistema responsável pelo atendimento de 6,2 milhões de pessoas.

A decisão ocorreu nesta sexta-feira (6) em reunião no Palácio dos Bandeirantes.

Como antecipou a Folha na quinta-feira (5), esse plano vinha ganhando força entre integrantes da administração estadual e da Sabesp que participam do grupo que prepara o plano de contingência da crise hídrica.