Saúde

A saúde precária de uma Velha Senhora

Aos 456 anos a cidade de São Paulo enfrenta problemas que, comparados aos de um organismo vivo, mostram condição próxima à falência múltipla de órgãos

Por Paulo Saldiva e Evangelina Vormittag - Scientific American Brasil

No Dia Mundial Sem Carro, o desafio da bicicleta ganha cada vez mais adeptos

Agência Brasil

“A decisão de estacioná-lo para sempre não foi de repente. Eu estava ensaiando há algum tempo. Fui algumas vezes para o trabalho de bicicleta, mas acabava usando o carro para todo o resto. Ele precisou dar os últimos suspiros para me alertar que não aguentava mais e que uma nova vida nos esperava. Fiquei por alguns segundos segurando o volante, olhos umedecidos tentando organizar os sentimentos. No início, senti raiva, logo depois tristeza, gratidão e por fim a aceitação. Fiz um carinho nele, uma lágrima caiu, saí de dentro, tranquei a porta e parti”.

Etanol nos veículos reduz a poluição por nanopartículas

Em entrevista ao CBN São Paulo, Paulo Artaxo, professor do Instituto de Física da USP, afirma que as pessoas que vivem em São Paulo convivem com a possibilidade de terem problemas graves de saúde por conta da condição do atmosfera. Pesquisa reforça ainda a necessidade de políticas públicas voltadas para o tema.

Confira aqui a entrevista.

 

Ação conjunta acabou com cracolândia europeia

Repressão só funcionou quando aliada a operações de saúde e de assistência social; entre as medidas estão áreas de consumo público.

Há 25 anos, um evento na pacata Suíça chamou a atenção da Europa. No centro de Zurique, o Platzpitz Park foi evacuado pela polícia, com centenas de usuários de drogas sendo alvo de repressão após passar praticamente toda a década de 1980 ocupando a região. Mas o que parecia ser a solução para um quadro parecido com o da Cracolândia de São Paulo era o início de uma disputa entre traficantes, usuários e autoridades.  

'Corujão da Cirurgia' terá bônus para médicos

Segundo o secretário municipal da Saúde, Wilson Pollara, o cirurgião vai receber R$ 1,2 mil por plantão para fazer até oito procedimentos em um dia

O Corujão da Cirurgia, anunciado oficialmente na sexta-feira pela gestão João Doria (PSDB), vai pagar bônus aos médicos que realizarem mais cirurgias do que o previsto por plantão. O programa quer zerar a fila de 68 mil pacientes em um ano e meio.

Corujão enxuga fila de exames, mas paciente esbarra em outros entraves

Por Angela Pinho

Após pouco mais de um mês em operação, o Corujão da Saúde, principal vitrine do prefeito João Doria (PSDB) para a área, cumpriu a missão de enxugar a fila de exames médicos em São Paulo.

Os pacientes, no entanto, continuam a esbarrar em antigos entraves da rede municipal, que não receberam a mesma atenção da gestão.

Em um mês de programa, foram realizados 141,3 mil exames, e outros 270 mil foram agendados para, no máximo, abril. Os procedimentos atenderão 485 mil pessoas que estavam na fila até dezembro do ano passado.