Transparência

Desconfiança sobre doações privadas leva Doria a endurecer regra interna

MARIANA ZYLBERKAN - FOLHA DE S. PAULO

Após questionamentos sobre a forma de divulgação de doações de empresas privadas à prefeitura, a gestão João Doria (PSDB) quer endurecer as regras e fixar um prazo de 72 horas para as informações serem disponibilizadas.

Esse tempo máximo para que os dados estejam na internet deve valer a partir do momento em que a oferta de serviço ou bem for formalizada pela iniciativa privada.

A determinação será aplicada a partir de maio, segundo Anderson Pomini, secretário municipal de Justiça.

Falta de transparência e pressa abalam programa de privatização de Doria

WALTER PORTO - FOLHA DE S. PAULO

A concessão de bens públicos à iniciativa privada é um projeto prioritário da gestão João Doria (PSDB) que, até agora, vem sendo tocado de maneira pouco transparente e aparenta ter pressa pouco condizente com a realidade.

ONGs pró-transparência se queixam a Doria por mudança na Controladoria

A decisão do prefeito eleito João Doria (PSDB) de tirar o status de secretaria da CGM (Controladoria-Geral do Município) levou um grupo de organizações a mandar uma carta a ele reclamando da ideia. A Rede pela Transparência e Participação Social, formada por 16 entidades, como Artigo 19 e Rede Nossa São Paulo, pede a valorização do órgão e o compromisso com o acesso à informação.

Treze prefeitos em reeleição prometem transparência, mas maioria é mal avaliada no tema

Por Ana Rita Cunha e Tai Nalon - Aos Fatos

Dentre os 20 candidatos à reeleição nas capitais brasileiras, 13 têm propostas concretas para aumentar a transparência das contas públicas em seus programas de governo. Levantamento de Aos Fatos a partir de estudo inédito da ONG Open Knowledge Brasil, mostra, no entanto, que a maior parte deles administra prefeituras pouco transparentes.

Seminário discute independência e transparência no Judiciário nesta terça-feira

Acontece nesta terça-feira (9/6), em São Paulo, o seminário "Independência e Transparência no Judiciário", evento organizado por sete entidades que vai  discutir a falta de transparência no Judiciário brasileiro e seu impacto na designação de juízes pelos Tribunais de Justiça – hoje orientada por critérios opacos e pouco objetivos.

Segundo as entidades, a presença de juristas, estudantes, movimentos sociais e organizações da sociedade civil nos debates evidencia a urgência de abrir o sistema para a participação social e o monitoramento público.