USP

Programa de Metas da cidade de São Paulo é tema de seminário na USP

Da Assessoria de Comunicação do IEA - Institutos de Estudos Avançados da USP

Os resultados obtidos com a adoção do Programa de Metas pela cidade de São Paulo e os fatores que os explicam serão analisados no seminário Programa de Metas: Balanço e Perspectivas, na próxima segunda-feira (22/5), das 9 às 17 horas, na Sala de Eventos do Instituto de Estudos Avançados (IEA) da USP.

USP prevê déficit de R$ 868 mi em 2016

Queda de arrecadação do ICMS faz rombo aumentar e afeta inclusão de alunos de baixa renda que ingressam na universidade

ISABELA PALHARES - O ESTADO DE S.PAULO

A Universidade de São Paulo (USP) prevê agravamento da crise financeira até o final do ano e estima encerrar 2016 com um déficit de R$ 868 milhões, 60% a mais do que o previsto inicialmente. A universidade informou que planeja adotar novas medidas de contenção de gastos e rever as prioridades de despesas, mas não revelou quais.

Campus da USP é área mais poluída de SP pelo segundo ano consecutivo

EDUARDO GERAQUE - FOLHA DE S. PAULO

A Cidade Universitária da USP, na zona oeste, foi, pelo segundo ano consecutivo, a área mais poluída da região metropolitana de São Paulo dentre as 21 estações em que há monitoramento do ar pela agência ambiental paulista.

Câmpus da USP terá faixa de ônibus e ciclovia

Via exclusiva para coletivos começa a ser implementada em dezembro; projeto de pista para bikes está em fase de finalização.

Por Caio do Valle

Em 16 anos, poluição do ar matará até 256 mil

Projeção feita para SP pela USP alerta que 25% das mortes ocorrerão na capital.

Por Adriana Ferraz

A poluição atmosférica vai matar até 256 mil pessoas nos próximos 16 anos no Estado. Nesse período, a concentração de material particulado no ar ainda provocará a internação de 1 milhão de pessoas, e um gasto público estimado em mais de R$ 1,5 bilhão, de acordo com projeção inédita do Instituto Saúde e Sustentabilidade, realizada por pesquisadores da USP. A estimativa prevê que ao menos 25% das mortes, ou 59 mil, ocorram na capital paulista.